A cena Drum And Bass sempre teve ótimos representantes brasileiros que até hoje fazem muito “barulho” não apenas no Brasil, mas principalmente fora de nosso país.

Para dar continuidade no trabalho do pessoal que mantém a cena DnB viva, existem alguns selos apresentando o Brasil para o mundo, como é o caso da Soul Bass Recordings. Criada em 2014 pelo Renato Tecnic, o selo tem como principal objetivo, levar Drum And Bass Made in Brazil para todos os cantos e você pode comprovar a excelência do selo, acessando o BeatPort oficial aqui.

Leia Também:

Para saber um pouco mais sobre este belo trabalho a frente da SoulBass conversamos com o Renato, que contou um pouco de como tudo começou e deu algumas dicas para a galera que não sabe o papel fundamental que tem um selo.

SoLow: Como foi o seu inicio na música e a paixão pelo Drum And Bass?

Renato: Minhas principais referências musicais quando adolescente foram desde Tim Maia até Elmore James. Em meados dos anos 90 tive o primeiro contato com a música eletrônica, frequentando Night Clubs como Broadway, Hell’s club, Espaço Nation e Love.e, minhas referências no segmento Drum’n’Bass se consolidaram no momento que ouvi o DJ Patife tocar. Foi neste momento que comprei meus toca discos e aprendi a tocar Drum’n’Bass. Comecei a tocar em festas de amigos e Night Clubs em minha cidade. Toda semana de maneira cativa, estava na galeria 24 de maio trazendo as novidades do Drum’n’Bass para ampliar meu repertório.

SoLow: Quando surgiu e qual é o time que está por trás da SoulBass?

Renato: A ideia de criar um selo, surgiu no ápice dos grandes selos internacionais, tais como: Metalheadz e Hospital Recordings, líderes no mercado mundial. A criação do selo aconteceu para dar vazão a um sonho antigo de produzir e lançar artistas de muito talento, porém com pouca visibilidade no mercado nacional. São esses os valores que o selo SoulBass recordings visa promover no cenário mundial. Artistas que produzem uma música de excelentíssima qualidade compatível com a cena Drum’n’Bass internacional. A SoulBass tem viabilizado a projeção desses artistas em pé de igualdade se comparados com outros artistas de qualquer lugar do mundo. O staff da SoulBass é composto por mim Renato Tecnic (idealizador do projeto) e Luciano Lucky dos Santos (menager) .

SoLow: Separando em nacionais e internacionais, quais artistas vocês já lançaram e que vão lançar pelo selo?

Renato: Começando pelos artistas nacionais, estão conosco nessa empreitada os ilustres, Marcio mouse, Shotik, Interface Bass, Mistyfic, L-side, Broken System, J.brown, Abstr4ct, Simplification, Translate, ShuffleMind, Wes, Draco, Markim, Brunno Junglist, Electric Soul, Sound Energy, Marnel, Unreal e Messo.

No lado interncional temos, Greekboy, Random movement, Azhot, Novaglitch, No.One, Ciland, Conart, Abstract.

Renato Tecnic
Renato Tecnic – O Boss da SoulBass Recordings

SoLow: Algum nome dessa lista é artista exclusivo da SoulBass?

Renato: Não. Acredito que, o artista é livre para escolher qual gravadora tem mais pontos comuns e afinidades com o trabalho proposto. Todos são muito importantes para o selo, respeitamos a diversidade e particularidades de cada um de nossos artistas

SoLow: Para aquela galera nova que está produzindo DnB e não sabe qual é a função do selo, explica um pouquinho da importância e o quanto o trabalho de vocês pode agregar no deles?

Renato: A função da SoulBass é divulgar e promover artistas de um modo geral, no mercado nacional e internacional, tendo em vista a visibilidade do selo que tem crescido muito nos últimos tempos. Sempre respeitando as características de cada produtor, bem como trabalhando junto, discutindo melhores possibilidades de mercado, sem tirar a capacidade de criação desses jovens produtores.

SoLow: Qual é a sua opinião do mercado atual da cena Drum And Bass, está melhor, já esteve melhor antes?

Renato: A cena Drum’n’Bass teve seus tempos áureos, no boom da música eletrônica aqui no Brasil em meados dá década de 90. Hoje em dia com o mundo globalizado a música em termos gerais ficou mais acessível a todos, porem as grandes festas que presenciamos na década de 90/00 se repaginaram e mesmo que em menor número ainda continuam presentes no cotidiano de quem gosta de Drum’n’Bass.

SoLow: Falando da nova safra de produtores nacionais ou internacionais, quais você destaca?

Renato: Nacionais Sound Energy , J.Brown, Shotik, Brunno Junglist, Electric Soul, Broken System e Abstr4ct. Internacionais: No.one , Conart, Ciland e Novalitch.

SoLow: Pra finalizar esse papo, deixa um recado para a galera que acompanha o trabalho de vocês.

Renato: Primeiramente, gostaria de agradecer ao SoLow Bass pela oportunidade e a todos os colaboradores, artistas, amigos e fãs do SoulBass. Gostaria de deixar um convite aos artistas e produtores, para que mandem suas tracks para a SoulBass Recordings, termos o maior prazer em atende-los.

 

SoulBass Recordings

FacebookBeatPort | JunoDownload

 

Quer saber mais sobre o mundo Bass Music?
Procure o Solow Bass: Facebook -> Instagram -> YouTube -> Twitter

Comentários

Comentários